Darwinismo Digital: sua profissão pode desaparecer?

Darwinismo Digital

O Darwinismo Digital pode ser definido como uma adaptação da teoria da evolução das espécies, de Charles Darwin, para o mercado de trabalho e a sociedade em geral no começo do século XXI. Em resumo, a ideia prega que empresas e a sociedade têm a necessidade de adaptar-se a novos contextos que surgiram no digital.

De alguma forma, estamos falando de sobreviver em meio ao ambiente que vivemos. Porém, iremos focar nos efeitos que a evolução digital pode ter no mercado de trabalho, as mudanças de paradigma e como você pode lidar com essas mudanças.

Os riscos do Darwinismo digital

O mercado de trabalho do Brasil teve duas modificações que estão tendo grande impacto nas relações de trabalho e na empregabilidade do brasileiro no geral: as modificações na CLT e as mudanças constantes no mercado de trabalho, que trazem novos desafios aos profissionais em busca das melhores vagas e dos melhores salários.

Um estudo da My Foresight, divulgado pela Rede Globo em seu site G1, identifica que diversas profissões podem simplesmente deixar de existir. Empregos como corretor, motorista, manicure e garçons têm de 80 à 100% de chances de desaparecer.

O que também pode ocorrer, especialmente quando falamos de motoristas e similares, é a diminuição das vagas de emprego com carteira assinada para a relação de trabalho por meio de aplicativos, o que acabou ganhando o apelido de “uberização”.

Essas modificações não são para daqui 20, 30 anos. Como essas mudanças são colocadas em prática com muita velocidade e no meio digital é muito mais simples escalar uma solução que funciona, a maioria dos estudos aponta mudanças significativas do panorama do mercado de trabalho para os próximos 5 a 10 anos.

As profissões do futuro, agora

Não é exagero dizer que todas as profissões relacionadas com informática estarão em alta nos últimos anos. Em matéria publicada no O Globo, confirma-se um deficit de cerca de 24 mil profissionais por ano nessas áreas.

Essa alta demanda faz com que os salários dos desenvolvedores e programadores sejam, em média, bem melhores do que outras carreiras com o mesmo grau de especialização, lembrando sempre que não são todas as áreas e vagas que vão exigir um curso superior na área, o que permite que um profissional já consiga seus primeiros projetos com cursos de especialização ou até cursos livres, como os oferecidos pela Eu Capacito gratuitamente.

Além das óbvias carreiras em programação, os experts em outras áreas de grande interesse da tecnologia, como User Experience, banco de dados, Big Data e Marketing Digital, acabam tendo seus mercados também expandidos e suas demandas também ampliadas.

Na área de marketing de internet é interessante comentar a existência de diversas abordagens e formas de trabalho, onde algumas empresas líderes do mercado, como a Oracle, oferecem ferramentas como a Oracle CX Marketing que simplificam a vida do empresário e do dono de agência.

Lembrando que esses são apenas alguns dos exemplos das profissões relacionadas à programação e TI em geral. Existem muito mais possibilidades, que poderão, inclusive, ser abordadas com mais detalhes em futuros artigos no nosso blog.

Estudar é a melhor saída para combater o Darwinismo digital

Há cerca de 40, 50 anos atrás, a ideia de permanência e experiência em um único nicho de trabalho, muitas vezes em uma única empresa, eram sinônimos de sucesso. O crescimento de pessoas em busca do sucesso era medido pelo tempo em uma empresa e pelas promoções que você conseguia, o que também envolvia, muitas vezes, habilidades sociais dentro do ambiente de trabalho.

Hoje em dia, com o grande dinamismo que o mercado exige de todas as pessoas, o mais importante é desenvolver a capacidade de extrapolar os conhecimentos que você já possui para outras carreiras e desafios.

Minha geração, ao longo da vida, teve em média sete empregos no total. A geração atual chega a ter sete atividades simultaneamente”. 

Octávio de Barros, diretor do Instituto República e ex-economista Chefe do Bradesco, comentou em entrevista ao Estadão Especial Focas.

Para esse dinamismo profissional funcionar, os cursos livres desempenham um papel importante na capacitação do profissional, que deve estar sempre em busca de melhores possibilidades e eventualmente de desenvolver projetos profissionais fora do horário de trabalho.

Nesse sentido, o recomendado é procurar cursos básicos de programação, como os oferecidos aqui na Eu Capacito, por exemplo o curso de introdução a programação, oferecido pelo Google, que é o ideal para dar os primeiros passos e aprender linguagens como C, C++, Java e outras.

De todas as habilidades citadas neste texto, gostaríamos de evidenciar a capacidade de adaptabilidade às novas situações que, apesar de ser uma soft skill, é fundamental para não se ver vítima do Darwinismo digital.